Seja bem-vindo(a) ao meu Blog. Sou Mário Jorge Lima, e abaixo estão textos meus, apresentados como sermões, palestras, ou simplesmente frutos de minhas reflexões pessoais.

Sou pai dessas 5 moças ao lado, Mariana, Isabela, Júlia, Laura e Luíza, a quem amo mais que a mim mesmo. Quando escrevo sobre assuntos espirituais, quando apresento palestras ou sermões, é primeiramente para elas e pensando nelas que estou escrevendo e falando.

Esses textos, atualizados sempre que eu os crio, e para isso não tenho uma periodicidade definida, são o legado escrito que deixarei a elas, sem erudição, sem proselitismo, sem "filosofismos". São as coisas em que de fato creio e pelas quais hoje vivo. Se Deus me der o tempo e a chance necessários, ainda pretendo escrever um livro com estas reflexões. Se não conseguir, elas estarão pra sempre aqui nesse Blog.

OBS: As palestras são organizadas com as mais recentes sempre no Topo.

Postado em: sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Pérolas Esparsas - 32 - PAI, COMEÇA O COMEÇO

PAI, COMEÇA O COMEÇO!

30/12/2016

Essa é minha última reflexão este ano. Ano duro. Aliás, como todos os anteriores, sem tirar nem pôr. O próximo poderá ser ainda mais duro, na percepção de muitos, ou o ano da virada, na esperança de outros tantos. Bem sei que, uma coisa é a expectativa ou o desejo, e outra coisa é a realidade. Mas, sei também, que a realidade, seja ela qual for, poderá chegar a mim com conotações e impactos distintos. E isso tem muito a ver com as minhas escolhas, e, como cristão – não posso fazer abstração disso – a forma como me relaciono e me coloco nas mãos de Deus.

Há uma história bem conhecida aqui na Web, de um garotinho que sempre que queria comer alguma fruta, especialmente tangerinas, pelas quais era fascinado, pegava uma delas e pedia ao seu pai para “começar o começo”, isto é, dar aquele primeiro corte, rasgando a casca, que para o menino era muito dura. Ele se recordava que algumas vezes o pai não apenas dava o primeiro corte, mas, continuava a tarefa e tirava toda a casca até o fim, entregando-lhe então a fruta prontinha para ser aproveitada. Mas, outras vezes, o pai, de fato, apenas dava o rasgo inicial, e dali pra frente o menino continuava e terminava o trabalho, para então, comer a deliciosa fruta. Mas, mesmo nesses casos, ele se recordava do rosto alegre e do sorriso amorável do seu pai ao interagir com ele, pronto para ainda tirar partes da casca um pouco mais duras.

Esse menino bem que podia ser eu, pois amo tangerinas. Lembro-me, há muitos anos, que estive uma tarde inteira em uma fazenda do Dr. Milton Afonso, lá no Rio de Janeiro, não lembro a cidade, acho que era Friburgo, e, encorajado por ele, comi muitas tangerinas, dezenas, de uma enorme plantação que ele possuía. Foi uma festa pra mim.

Mas, as tangerinas que hoje preciso descascar e digerir, adulto e idoso que sou, cansado e muitas vezes angustiado pelas situações criadas por minhas escolhas, vaciladas e desencontros, são outras. E, assim como o menino fazia naquela história, eu preciso todo o tempo pedir ao Pai que “comece o começo” pra mim. Algumas vezes, Ele vai tirar toda a casca e me entregar uma situação resolvida, prontinha para ser desfrutada. Mas, outras tantas vezes, segundo o Seu propósito, Ele vai dar apenas o primeiro corte, e deixar que eu retire o restante da dura casca que envolve o meu problema, o meu anseio, o meu projeto. Contudo, posso ter a certeza de que, ainda assim, Ele estará ao lado, sorridente e amorável, interagindo comigo, e pronto a tirar os pedaços de casca que eu ainda não consigo.

Nessa virada de ano, que é um reinício importante apenas na minha cabeça, que conta os tempos assim, mas, é na realidade, toda uma existência contínua a ser vivida, com novos começos, com reinícios diários, eu, como aquele menino, quero pedir a Deus: “Pai, começa o começo”. Ou seja, "tira toda a casca, se achares que deve ser assim, ou, pelo menos, dá o primeiro corte nela, e fortalece minhas mãos cansadas e dedos feridos, para que eu consiga seguir o Teu plano para minha vida, retirando tudo aquilo que me aprisiona e deprime.".

A certeza que tenho de que Ele vai atender a minha oração, não apenas dando o primeiro corte na dura casca que me angustia, mas, terminando todo o processo, me é dada por esse texto bíblico:

“Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até o dia de Cristo Jesus.” Fil. 1:6.

Como gosto, sempre que possível, de emoldurar minhas reflexões com música, feche seus olhos, coloque seus fones de ouvido, e aprecie esse velho hino, chamado Moment By Moment, que afirma que a cada momento o Senhor está comigo, me ampara nas minhas lutas e me livra do maligno. Dessa forma Ele me ajuda a descascar as "tangerinas" do viver.

Quem canta é, no meu gosto pessoal, o melhor tenor cristão que já ouvi, Pastor Walter Arties, com piano e arranjo orquestral de outro músico maravilhoso, Paul Johnson. Conheci pessoalmente Walter Arties e conversei com ele, há alguns anos. Pelo que sei, ainda vive, bem velhinho, na Califórnia, embora hoje, certamente, já não consiga esse límpido Sí-bemol do final. Vale lembrar que essa gravação tem quase 50 anos.

FELIZES E VENTUROSOS DESCASCAMENTOS EM 2017!

CLIQUE AQUI: www.multisites.com.br/dl/moment_by_moment.mp3

Mário Jorge Lima./
São Paulo, 30/Dezembro/2016.

Autor: Mário Jorge Lima
São Paulo, 30/Dezembro/2016.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso [a salvação pela graça] não vem de vós; é dom de Deus.” Ef. 2:8.

Postado em: sábado, 24 de dezembro de 2016

Reflexões Sobre a Graça - 38 - PLANO DE SALVAÇÃO

PLANO DE SALVAÇÃO
24/12/2016

Sem diminuir a importância dos grandes tratados de teologia e apologética, podemos dizer que o Plano da Salvação provido por Deus é muito simples e baseado numa situação facílima de compreender:

Temos, de um lado o ser humano transgressor, sem qualquer merecimento, nascido sob o domínio do pecado, carregado de culpas, condenado a uma morte eterna, e assim, sem qualquer perspectiva além dessa vida penosa e sofrida. A única coisa boa que ele tem é a vontade livre e o poder de escolha. No mais, ele é inimigo natural de Deus e das coisas espirituais.

Temos, de outro lado, um Deus santo, possuidor de todo o bem, toda a justiça e misericórdia, pronto a receber quem aceitar o Seu perdão e graça, oferecendo gratuitamente Seus méritos perfeitos, Sua obediência completa e ansioso para declarar como justo o homem pecador. Para isso Ele estende a Sua mão da reconciliação.

Todo o Plano de Salvação consiste em os dois trocarem de lado. Ponto.

Assim, Deus nasce neste mundo com natureza semelhante à humana, é feito pecador em seu lugar, leva sobre Si toda a injustiça humana, perversões, delitos e fracassos, e morre numa cruz. E o homem se torna justo, por ter creditado na sua vida tudo de bom que há em Deus, méritos, obediência e justiça, que dessa forma se tornam dele, e pode viver pra sempre.

Eu disse acima que essa situação é simples de compreender, e é, até mesmo para uma criança. O difícil, tem sido nós admitirmos essa simplicidade, acreditarmos nela e a aceitarmos pela fé. E, havendo-a aceitado, nos dispormos a crescer nessa graça redentora, preparando-nos para o melhor dela, que é ter essa nova condição perdurando por toda a eternidade.

Desejo que este Natal e Novo Ano nos tragam essa percepção acima.

Mário Jorge Lima./ /
São Paulo, 24/Dezembro/2016.

Autor: Mário Jorge Lima
São Paulo, 24/Dezembro/2016.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso [a salvação pela graça] não vem de vós; é dom de Deus.” Ef. 2:8.

Postado em: sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Reflexões Sobre a Graça - 37 - DEBAIXO DA GRAÇA E NÃO DA LEI

DEBAIXO DA GRAÇA E NÃO DA LEI
09/12/2016

"Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois, não estais debaixo da lei, e, sim, da graça. Mas, e daí? Haveremos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e, sim, da graça? De modo nenhum." Rom. 6:14-15.

Estar debaixo da lei significa tão somente estar debaixo da condenação da lei. Quando o motorista avança o sinal vermelho, imediatamente torna-se infrator da lei do trânsito, e assim, se coloca debaixo do rigor dela. E quando paga a multa (ou alguém paga por ele), única forma conhecida de sair de debaixo da lei, isso não a anula, mas, apenas livra o transgressor da condenação da mesma. Até porque, continuará sendo infração avançar o sinal vermelho.

Como diz Arnaldo César Coelho, comentarista da Globo, "a regra é clara". E vou me apropriar de um paradoxo libertário pra dizer também: "qualquer criança entende, menos alguns adultos".

Quando Paulo fala de o pecado não mais ter domínio sobre nós, está falando de uma condição contínua de alienação e comodismo espiritual, deixando o pecado reinar na vida. Essa condição, o cristão consciente, que foi efetivamente salvo pela graça através da fé, não tem mais, não vive mais.

Por outro lado, como possui natureza pecadora e caída, e a conservará até que Jesus volte, esse cristão, miseravelmente, ainda peca. Mas, quando isso acontece, temos todo um sistema de salvação pronto para atribuir o perdão, eliminar a culpa e conservar o crente no caminho rumo ao céu.

Agora, é risível achar, como muitos gostam de enfatizar, que por haver um sistema perdoador e gracioso à disposição, esse cristão vai então usar isso como álibi para não buscar a vitória em Cristo e o crescimento na graça. Não, não vai. Pecar de caso pensado, é, como sempre digo, pouco ou nada inteligente.

"E Deus é poderoso para fazer que lhes seja acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra." II Cor. 9:8.

Ou as boas obras acontecem e transbordam como resultado da salvação pela graça, ou não haverá significado algum nelas.

Aqui não há espaço nem para teorias de perfeccionismo e nem de anti-perfeccionismo, uma discussão absolutamente ineficaz. Aqui eu só vejo espaço para a busca pessoal de santificação, "sem a qual ninguém verá o Senhor". O que passar disso será polêmica tão infrutífera quanto não edificante. Não passará de um infindável esgrimir de textos bíblicos e inspirados, sem nenhum resultado espiritual prático.

Mário Jorge Lima./ /
São Paulo, 09/Dezembro/2016.

Autor: Mário Jorge Lima
São Paulo, 09/Dezembro/2016.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso [a salvação pela graça] não vem de vós; é dom de Deus.” Ef. 2:8.