Postado em: terça-feira, 24 de março de 2015

Reflexões Sobre a Graça - 19 - DEUS AMOU O MUNDO DE TAL MANEIRA (2)

DEUS AMOU O MUNDO DE TAL MANEIRA (2)

24/03/2015

Esse texto bíblico de João 3:16, amado por toda a cristandade, é um dos pilares da Doutrina da Salvação. Surgiu no decorrer de uma conversa particular entre um Mestre da Lei, Nicodemos, e o Mestre da Graça, Jesus Cristo.

Mas, uma das coisas que mais me fascina nesse episódio é que no momento seguinte, versículo 17, Jesus afirma enfaticamente que Sua missão tinha a ver eminentemente com salvação, não com condenação. Ou seja, a ênfase do Seu ministério era o ato de prover vida eterna e não morte eterna. A condenação à morte eterna seria simplesmente uma decorrência natural e lógica da não aceitação da salvação, da recusa do livramento desta mesma condenação.

Jesus já havia pontuado isso anteriormente a uma multidão de pessoas, entre elas gregos gentios que o haviam procurado, e dito que Sua missão, de fato, era salvar, ainda que as pessoas não cressem nEle:

“Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, eu não o julgo; porque eu não vim para julgar o mundo, e sim para salvá-lo.” João 12:47.

Se você lê, de igual maneira, também o versículo seguinte, entenderá que o julgamento com condenação é consequência natural da recusa dessa salvação graciosamente oferecida, e não um propósito de Deus. Ou seja, a Divindade está totalmente comprometida com o propósito de salvar e não de condenar e destruir o ser humano.

Querem mais uma prova disso? Há muitas. Jesus afirmaria mais tarde que o fogo eterno foi feito não para o ser humano, mas “para o diabo e seus anjos” (Mat. 25:41). Olha que pavor e medo você tira da sua cabeça ao ler isso! Agora, é com você, com a atitude que você tomará diante da transgressão e do erro.

Para finalizar, veja esse conhecido incidente do ministério de Cristo Jesus. Ele havia saído da tentação no deserto e voltava para Nazaré, onde tinha sido criado. Era um Sábado, Ele entrou na sinagoga e lhe deram o livro do profeta Isaías, onde achou uma profecia messiânica que dizia exatamente o que Ele viera fazer no mundo. Ali Ele declarou ao mundo qual era a natureza de Sua missão, e instalou o Reino da Graça. Está em Lucas 4:18-19.

Se você comparar esse texto com a profecia dada muitos séculos antes (Isaias 61:1-2), verá que lá em Isaías há uma frase que Jesus não citou quando leu o rolo do livro, e que dizia que Ele também apregoaria “o dia da vingança do nosso Deus”. Ele parou na frase “o ano aceitável do Senhor”. Por que seria?

Jesus não veio enfatizar o dia do juízo, da vingança, da destruição. É certo que esse dia também chegará, a critério e propósito exclusivamente de Deus. Mas, a missão de Jesus era, e a nossa também é, destacar na pregação ao mundo, não que a porta da graça está a se fechar, mas, dizer que a “graça se manifestou salvadora a todos os homens” (Tito 2:11), e está aí, plena, abundante, para quem quiser aceita-la.

Até mesmo uma criança, a quem o Reino de Deus é dedicado, entende isso com facilidade. Aprecie esse pequeno vídeo e fique na paz que excede todo o entendimento.

www.youtube.com/watch?v=5beoRa_HR8o

Mário Jorge Lima./
São Paulo, 24/Março/2015.

Autor: Mário Jorge Lima
São Paulo, 24/Mar/2015.
“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso [a salvação pela graça] não vem de vós; é dom de Deus.” Ef. 2:8.

0 comentários:

Postar um comentário

Esse Blog não se prestará a polêmicas doutrinárias, é apenas devocional. Você não precisa concordar comigo e pode dar sua opinião livremente, se não for agressiva nem fugir aos princípios de convivência cristã, será publicada.