Seja bem-vindo(a) ao meu Blog. Sou Mário Jorge Lima, e abaixo estão textos meus, apresentados como sermões, palestras, ou simplesmente frutos de minhas reflexões pessoais.

Sou pai dessas 5 moças ao lado, Mariana, Isabela, Júlia, Laura e Luíza, a quem amo mais que a mim mesmo. Quando escrevo sobre assuntos espirituais, quando apresento palestras ou sermões, é primeiramente para elas e pensando nelas que estou escrevendo e falando.

Esses textos, atualizados sempre que eu os crio, e para isso não tenho uma periodicidade definida, são o legado escrito que deixarei a elas, sem erudição, sem proselitismo, sem "filosofismos". São as coisas em que de fato creio e pelas quais hoje vivo. Se Deus me der o tempo e a chance necessários, ainda pretendo escrever um livro com estas reflexões. Se não conseguir, elas estarão pra sempre aqui nesse Blog.

OBS: As palestras são organizadas com as mais recentes sempre no Topo.

Postado em: terça-feira, 10 de junho de 2014

Reflexões sobre a Graça - 01 - TENSÕES

TENSÕES

Como cristãos, no dia a dia - falo principalmente por mim - vivenciamos situações, nossas ou alheias, que mostram muito claramente como uma coisa é falar e outra completamente distinta é fazer.

Em um incidente no trânsito caótico das cidades, na demora em uma fila de banco ou supermercado, no contato difícil com um vendedor de loja ou prestador de serviços, na nossa participação agressiva, desamorosa e muitas vezes parcial nas redes sociais, no destempero das nossas palavras, no desgosto de ver um plano prejudicado ou desfeito, numa contrariedade na família, no trabalho, na escola, na igreja, com vizinhos ou amigos, no comportamento impaciente, hostil e mal humorado que frequentemente manifestamos em nossos relacionamentos, na postura dissimulada ou omissa frente às situações da vida, no menosprezo e desrespeito que mostramos por quem pensa, vive e crê de forma diferente de nós, vemos quão difícil é transformar nossa pregação em ações de fato.

Passar da teoria para a prática da vida real, da apologética arrogante para a humildade da verdadeira ética cristã, do enunciado erudito de doutrinas para a simples aplicação delas na vida, do discurso para a realização, mostra sempre quão longe estamos do ideal de Deus e quão falhos somos como pretensos guardadores de Sua Lei.

Quando reflito sobre isso compreendo perfeitamente o grito angustiado de Paulo: “Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo dessa morte?” Rom.7:24.

O grande apóstolo padecia dessas mesmas idiossincrasias, via em sua vida as mesmas distorções do comportamento, as mesmas contradições, sentia o mesmo sincero desapontamento com as tensões e a distância entre o que deveria fazer e o que de fato fazia.

Se qualquer de nós parar para pensar com honestidade, com sincero mea-culpa, verá que só nos resta clamar, também como Paulo fez na continuação do texto mencionado acima: “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor.” Rom.7:25.

Ir a Cristo diariamente e fazer uso de Seus méritos, justiça, obediência, todos perfeitos e irreparáveis, em suma, de Sua graça maravilhosa e salvífica, é nossa única chance, não apenas de bem viver a vida cristã, mas principalmente, nossa única esperança e garantia de salvação. Sem Ele e essa graça transformadora, não seremos nada mais que poeira cósmica.

Autor: Mário Jorge Lima
São Paulo, 10/Jun/2014.
“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso [a salvação pela graça] não vem de vós; é dom de Deus.” Ef. 2:8.