Postado em: quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Vitória Sobre o Pecado

Vitória sobre o pecado é obtida numa base diária, respondendo ao amor de Deus, deixando-se transformar pelo relacionamento e pela submissão à Sua vontade, interagindo com Ele no processo de santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.

Vitória sobre o pecado não significa não mais pecar, considerando-se ações, atitudes, palavras e pensamentos. Até porque aquele que diz não cometer pecados torna-se mentiroso. (I Joao 1:8-10). Fomos justificados - considerados justos - por Deus quando abrimos o coração para a fé genuína, e assim passamos a ser considerados e chamados santos, separados. Mas infelizmente, somos santos que, miseravelmente, ainda pecam. Para isso nosso advogado diante de Deus provê e torna disponível a dádiva incondicional do perdão, a qual só temos que aceitar.

Vitória sobre o pecado, portanto, significa não ter mais o pecado reinando na vida (Rom. 6), não tê-lo mais como a força determinante de nossas ações, não ser escravo dele, não ser dominado por ele, não mais viver nele. (I Joao 5:18), crescer na graça, seguindo a vereda do justo. Essa é a vitória que podemos obter em Deus, mesmo tendo natureza caída, imperfeita e ainda mortal. É uma vitória pessoal, mas, insuficiente, que só tem valor diante de Deus porque Cristo Jesus venceu essa luta de forma total e completa e em âmbito maior e cósmico, e Sua vitória se torna nossa vitória quando O aceitamos pela fé.

Essa é uma situação de alegria em Deus, de religião não-raivosa, que se traduz em aprender da Palavra, orar e servir ao próximo. Fomos salvos da condenação do mal, sem nenhum mérito nosso, por um simples ato de fé, estamos em outra casa, sob nova direção. Apesar de todas as dificuldades e agruras do cotidiano de nossas vidas, tem coisa melhor?

Por outro lado, somos responsáveis por todo conhecimento que venhamos a obter. Que ninguém se deixe levar por displicência e relaxamento espirituais, pensando que “assim é muito fácil” e que poderá enganar ao Senhor, e de forma dissimulada conseguirá viver a santificação sem compromisso e sem mudança de vida. Em Deus é fácil, sim, mas sem Sua graça restauradora é impossível, por duas simples razões:

. Primeiro, porque Quem identifica os impulsos, julga os motivos e administra todo esse processo dinâmico de salvação é Alguém que não erra, é o Senhor de toda a terra, que é misericordioso, justo, santo e infalível.

. E, segundo, porque a graça e o amor de Deus são forças, necessariamente, transformadoras.

Mário Jorge Lima – 12/Fev/2014
“Livre pensar é só pensar” – Millor Fernandes.

Autor: Mário Jorge Lima
São Paulo, 12/Fev/2014.

0 comentários:

Postar um comentário

Esse Blog não se prestará a polêmicas doutrinárias, é apenas devocional. Você não precisa concordar comigo e pode dar sua opinião livremente, se não for agressiva nem fugir aos princípios de convivência cristã, será publicada.