Postado em: sexta-feira, 5 de agosto de 2011

1(1) - Todo o Evangelho em um só Versículo Bíblico

Vamos relembrar: da última vez, falando sobre testemunhar, dissemos que isso é algo que podemos fazer em apenas 3 minutos. Não é preciso muito tempo, não é preciso fazer longos discursos, sermões e estudos, e nem ser profundo conhecedor de profecias e doutrinas. Essa é uma outra fase que vem depois e que toma toda a sua vida a partir daí. Mas, para testemunhar de Cristo Jesus, só precisamos de 3 minutos. Foi exatamente o que o apóstolo Paulo fez diante do Rei Herodes Agripa.

E isso, que leva tão pouco tempo, podemos fazer em qualquer lugar, na fila de um supermercado, na fila de um caixa eletrônico, num ponto de ônibus, numa conversa de intervalo nas aulas ou no trabalho, enfim, em qualquer lugar, e em um curto espaço de tempo.

Nos dias de hoje, vivemos em tempos de muita rapidez, muita velocidade, exatamente porque tempo é algo considerado escasso para o monte de coisas que queremos realizar e cumprir. E nesses tempos velozes, até mesmo as coisas que aprendemos e apreendemos, tem que acontecer em pouco tempo ou consideraremos perda de tempo. Os computadores, telefonia, comunicação por satélite, tudo precisa acontecer não em horas e nem mesmo minutos, mas em segundos ou frações de segundo, os chamados microssegundos e nanossegundos. Quem trabalha com hardware sabe do que estou falando.

O que menos temos hoje para usar nos nossos relacionamentos é o tão precioso tempo. Não temos tempo para nossa família, mulher, marido, filhos, não temos tempo para os nossos amigos, não temos tempo para nós mesmos, e pior que tudo, não temos tempo para Deus. Parece que todo nosso tempo disponível é para corrermos atrás daquilo que acaba sendo o principal da nossa vida: o trabalho, a atividade de ganhar dinheiro, de adquirir bens e recursos. Alguém já fez uma pergunta inquietante, que deve nos levar a pensar seriamente: "Quer saber o que realmente é importante na sua vida, aquilo que realmente conta pra você? É muito simples: basta ver as coisas às quais você mais dedica tempo ou das quais mais tem dificuldade em se desligar."

Eu propus aqui da vez passada algo pouco usual: nesse cenário, como falar do Evangelho, não apenas em pouquíssimo tempo, mas em um único texto bíblico? Teria que ser um texto que contivesse os principais elementos que constituem a pregação central sobre como funciona o plano de salvação.

Logo nos vem à mente o maravilhoso texto da conversa de Jesus com Nicodemos, narrado em Joao 3:16: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.". Esse é lindo, um dos textos mais amados de toda a Escritura, e até se aproxima do que eu tenho em mente.

Mas, como disse, não é esse o texto a que me referi. Há também um outro maravilhoso, de Paulo, em Efésios 2:8-10, que diz "Pela graça sois salvos....". Bem poderia ser esse, pois ele de fato tem tudo que precisamos saber sobre a questão da salvação, só que esse se espalha por pelo menos três versículos bíblicos, e eu disse que deveria ser apenas um único versículo. Então vamos a ele.

O meu texto é dos mais conhecidos do Novo Testamento, todo cristão seguramente sabe recita-lo de cor. Encontra-se em Romanos 6:23: "Pois o salario do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. ". Pronto, aí está, tudo que realmente conta para a salvação em um único versículo bíblico. Se amanhã ou depois, você estiver com alguém, por poucos minutinhos apenas, alguém a quem provavelmente você não verá jamais em outra oportunidade, e tiver que deixar com essa pessoa uma palavra de esperança e de confiança no poder do Evangelho, marcando um texto bíblico em sua mente, recite e ensine-lhe este versículo das Escrituras, e até mesmo peça-lhe que o decore.

Nesse texto você encontra o conceito do pecado e suas consequências, tem toda a diferença entre merecimento e graça, tem a salvação unicamente através de Cristo Jesus, e tem por fim a esperança da vida eterna. Do que mais você precisa falar ao testemunhar pra alguém sobre o evangelho do Reino? Vamos fazer um pequeno comentário sobre os itens desse pequeno texto. Não será uma exegese, que é uma interpretação profunda de um texto, bíblico, jurídico ou literário, pois eu não sou um teólogo ou literata. Essa será apenas uma conversa devocional.

Vamos ver as duas situações propostas nesse texto:

1) Quando você trabalha e ao final do mês recebe o seu salário, ou executa um serviço qualquer para alguém ou para uma empresa e quando termina recebe o seu pagamento, independente de ter feito um bom trabalho ou não, você está recebendo aquilo que merece. Afinal, ao longo do mês você esteve à disposição da empresa. Ou gastou horas ou dias para executar um serviço para alguém. E é isso mesmo. Está recebendo aquilo que merece. É um direito seu. Você pode reivindicá-lo, brigar por ele, ir até à justiça para receber aquilo que lhe é devido. Esse, portanto, não é um cenário onde existe graça. Aqui existe merecimento e consequente pagamento.

2) Ao contrário, quando alguém que gosta de você, que o admira, que nutre qualquer tipo afeto por você, lhe dá um presente, ou faz para ou por você alguma coisa que você aprecia muito, você está recebendo algo inteiramente de graça. Nunca diga ou pense que alguém que recebeu um presente merece aquele presente, porque sendo esse o espírito, naquele instante deixou de ser um presente e passou a ser um pagamento merecido.

Portanto, eu disse que ninguém que recebe um presente - mesmo na data do seu aniversário - deve pensar que merece aquele presente ou tem direito a ele. Porque, se merecer, já não é um presente, e sim uma justa retribuição a que ele tem direito. Você que é pai ou mãe, ou mesmo sendo apenas filho ou filha, saiba que não tem obrigação nenhuma de dar ou de receber presentes. Presente é presente, em princípio, e por definição, sem qualquer merecimento por parte de quem o recebe. Quem dá um presente dá porque quer, dá porque gosta do presenteado, ama a pessoa que recebe o presente. O pai, a mãe, que presenteiam seu filho(a) o fazem não porque tenham obrigação, por serem pais; eles o fazem porque amam seus filhos. Que isso fique bem claro.

Esse é um conceito que precisamos entender, firmar e consolidar, se é que queremos considerar devidamente a questão dos extraordinários presentes que recebemos de Deus: a salvação e a vida eterna, bem como o maravilhoso dom de Deus (dom quer dizer presente) que é Cristo Jesus.

Voltando então ao nosso texto, quando Paulo diz ali que o salário do pecado é a morte, está dizendo que isso é o que todos merecemos, porque todos pecamos, e pior ainda, todos nascemos em condição de pecado, com natureza pecaminosa. Essa era a situação, era o cenário que passou a existir para o ser humano, desde o Éden. A morte era, e continua sendo o justo pagamento por sermos pecadores natos. Se o texto terminasse aqui, que desgraça e tragédia profundas! O SALÁRIO DO PECADO É A MORTE!.

Mas... temos essa bendita conjunção adversativa, que entra com uma ideia oposta à primeira: "mas, o dom gratuito de Deus é a vida eterna...". E aqui, desculpem-me o comentário, "dom gratuito" ou "presente gratuito" configura o que chamamos de pleonasmo. Se for dom, se for presente, só pode ser gratuito. Não chega a configurar um erro, mas, provavelmente foi usado assim para enfatizar - e isso é bom - que a vida eterna é inteiramente "gratuita". Aliás, na maravilhosa e tradicionalíssima tradução inglesa The King James' Version, o texto diz: "But, the gift of God is eternal life...".

Amigos, a salvação, a vida eterna, são dons, são presentes de Deus, portanto, inteiramente gratuitos, inteiramente imerecidos. E com isso, esse texto maravilhoso das Escrituras nos apresenta a noção clara, sem sofismas, do que vem a ser a graça de Deus. Deus nos concede a salvação em Seu Filho, Jesus Cristo, não porque tenhamos qualquer direito a ela; não porque tenhamos feito ou venhamos a fazer qualquer coisa, praticar qualquer ato meritório que nos dê ainda que uma pequena porção de garantia ou direito à vida eterna. Deus nos deu e nos dá a salvação simplesmente porque nos ama. Deus nos estende a graça do Seu perdão e a possibilidade real de viver pra sempre simplesmente porque nos ama. Só isso.

Nossos atos de obediência (pobre e esfarrapada obediência, diga-se de passagem) não tem nenhum papel salvífico, nada mais são do que resposta, consequência, resultado, fruto do companheirismo, do relacionamento com esse Deus que nos salva e morreu por nós simplesmente porque nos ama. Imaginem o tamanho desse amor! Essa é a correta pregação do Evangelho que salva. Não chame a isso graça barata, porque não é, ela foi muito cara, custou a vida do Filho de Deus.

Na verdade, às vezes somos levados a pensar no exposto acima como graça barata, porque estamos acostumados a pagar por tudo que temos. Só damos valor às coisas que custaram, e principalmente às que custaram muito. Costumamos ouvir, e até dizer: "isso aqui eu comprei com o meu dinheiro" ou "não quero nada de graça, prefiro pagar com o meu dinheiro" ou "se fosse bom, ninguém dava, vendia" ou "tudo que é bom é caro, porque o bom e barato é raro". Esse é o conceito humano sobre o que realmente tem valor.

Pois então saiba: a coisa mais preciosa que você poderia ter ou ganhar, que seria uma eternidade de paz e felicidade sem fim ao lado de todos os seus queridos e junto de Deus e de Cristo Jesus, é algo que lhe é ofertado inteiramente de graça, sem que você precise fazer nada para receber, só precisa isso: receber, aceitar. Qualquer mudança de vida, qualquer mudança no seu procedimento daí pra frente, será consequência de haver aceitado, será uma reação a essa ação magnífica de Deus em seu favor. Mesmo na eternidade, um dia, com corpo glorificado, mente transformada e vivendo pra sempre, você nunca será digno da salvação, ela terá sempre sido um dom, um presente da graça de Deus.

Preste atenção no que eu vou dizer agora pra encerrar: ao fazer qualquer coisa pra Deus, ao praticar qualquer ato simples de obediência a princípios ou regras que você acredite que são corretas e devem ser observadas, nunca ouse, nunca caia no erro de achar ou pensar que agindo assim estará ganhando ou fazendo por merecer, ainda que uma ínfima parte da sua salvação. Experimente pagar a alguém que lhe dá de coração um presente, que pra ele pode ter custado muito, mas pra você não custou nada, e tudo que você vai conseguir com isso será simplesmente magoar quem presenteou você. E na questão da salvação é o seu maravilhoso Deus. Quando você faz a vontade de Deus, através de atos de obediência, está apenas mostrando de que lado você está, e está, claro, vivendo melhor com toda certeza. Afinal, os reclamos de Deus, suas leis e diretrizes, sempre foram dados para que o homem viva melhor.

Repita agora mentalmente comigo esse texto maravilhoso que prega o núcleo da questão da salvação em Cristo Jesus em um único versículo, e ensine-o a todos que se relacionam com você, quer eles já creiam nisso ou não. Essa é uma pequena jóia do Evangelho que salva que Cristo Jesus deu ao seu amado apóstolo Paulo: "Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. ". Amém.

Autor: Mário Jorge Lima

0 comentários:

Postar um comentário

Esse Blog não se prestará a polêmicas doutrinárias, é apenas devocional. Você não precisa concordar comigo e pode dar sua opinião livremente, se não for agressiva nem fugir aos princípios de convivência cristã, será publicada.