Postado em: sexta-feira, 3 de junho de 2011

5(9) - Seja Feita a Tua Vontade assim na Terra como no Céu

Vamos continuar nossas reflexões sobre a Oração do Senhor. Nossa frase de hoje é: Seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu.

Frase de compromisso, aliás, como todas as frases da Oração do Pai Nosso. Nenhuma palavra, nenhuma frase dessa oração pode ser dita a Deus sem um grande compromisso e entrega da parte de quem ora. Estou batendo nessa tecla desde os primeiros comentários, porque quando falamos com Deus a conversa deve ser consciente, assumida, pensada. Estamos falando ao Criador, ao Rei de todo o universo.

Essa frase é similar à que Jesus orou no Getsêmani. "Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade." Mateus 26:42. Frase dita, frase assumida, decisão tomada.

Vamos nos deter um pouquinho sobre aquela cena. Jesus Cristo ali estava enfrentando o maior problema de Sua vida, o maior problema de todo o universo. O Filho de Deus, possuidor de vida em Si mesmo, outorgada pelo Pai, sendo Ele mesmo - de uma forma que não entendemos - um com o próprio Deus, santo, sem pecado, perfeito e infalível, ali estava, voluntariamente, para assumir sobre Si os pecados do ser humano, sendo que Ele mesmo nunca pecou.

Possuindo Ele - também de forma incompreensível para nossa mente - natureza humana, mas, sem pecado, iria entrar agora na parte final de Sua missão em nosso planeta. Ao assumir os nossos pecados, seria Ele "feito pecado por nós" - nas palavras do apóstolo Paulo - isso o manteria afastado de Deus, e era isso que, com efeito, O mataria: separação do Pai.

Cristo não queria passar por isso. Sua natureza humana pedia assim, queria, se possível, Se ver livre daquela situação, sem dúvida, nova e desconhecida para Ele, que sempre vivera, por assim dizer, no seio e na mente do Pai. E foi sobre isso que Ele orou. No entanto, Sua missão, para ser completa e restauradora para o ser humano, pagando, por amor, uma dívida que este não podia pagar, envolvia essa experiência.

E aqui vêm dois grandes ensinamentos que depreendemos desse tipo de pensamento, desse tipo de atitude, que nos leva a orar frase semelhante:

1) Jesus viera ao mundo com essa missão, isso tinha sido oferecido por Ele mesmo, que disse uma vez: "Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos." Marcos 10:45. Então esse era um assunto já acertado e resolvido entre Ele e o Pai, e, no entanto, ali, no momento decisivo Ele ainda apresentou a Deus um último pedido para, caso fosse possível, ficar livre daquela situação terrível.

Quando oramos a Deus acerca de qualquer problema, qualquer anseio, qualquer projeto, qualquer benção a ser alcançada, qualquer situação de grande angústia, devemos pedir claramente o que queremos, sem meias palavras, devemos verbalizar o que desejamos sem medo de sermos mal compreendidos ou mal vistos por Deus. "Pai, se possível, passa de mim esse cálice. Não quero bebe-lo, não quero passar por essa situação, não quero que isso aconteça, mas quero que aquilo outro se realize na minha vida." Não há erro nisso, não há pecado, não há arrogância em pedirmos a Deus o que queremos. Nunca tenha esse medo.

2) Mas, agora vem o ensinamento mais difícil de ser aprendido: quando entregamos a Deus o nosso pedido devemos também entregar, junto com isso, a nossa vontade. Devemos fazer isso, para abrir, voluntariamente, na nossa experiência, o espaço necessário para que Deus opere, para que Deus execute a Sua vontade, que, convenhamos, é sempre melhor e mais acertada que a nossa. "Pai, se não tem outro jeito, que seja do Teu jeito, como Tu queres." É preciso muito relacionamento, muita comunhão, muita confiança para orar, entender e aceitar dessa forma.

Na minha vida pessoal eu vivenciei isso algumas vezes. Numa dessas vezes, ocorrida há alguns anos, eu orei muito a Deus para que me livrasse de passar por uma situação na minha vida espiritual e pessoal, que sempre achei que não precisaria ter passado. Tinha, e ainda hoje tenho argumentos bíblicos fortes para justificar aquele meu pedido a Deus, e sempre tive muita esperança de que pudesse ter sido atendido da forma e no momento que pedi. Além disso, muita gente que gosta de mim, que acompanhou essa experiência, orou da mesma forma.

Já naquele tempo eu estava me envolvendo fortemente com esse tipo de postura que nos leva a colocar esse adendo a todos os nossos pedidos: "Faça-se a Tua vontade". Até mesmo, pra ser bem honesto, sem, interiormente querer dessa forma, eu procurava me acostumar a orar assim. E esse pedido, de que se fizesse a Sua vontade, Deus atendeu. Ainda se passaram de sete a oito anos até que Deus tivesse atendido o meu anseio. Hoje, olhando para trás, entendo que Ele fez, de fato, conforme a vontade dEle, pois a despeito de todas as minhas argumentações teológicas e bíblicas, daquela forma não teria sido o melhor pra mim.

E há situações em que, nessa vida, jamais veremos respondidas as nossas orações da forma como desejamos. Deus responde sempre, creio eu, mas não necessariamente como queremos. O adendo diz: "Seja feita a Tua vontade e não a minha.".

Um dos exemplos bíblicos mais clássicos desse tipo de experiência, é o de Moisés. Ele muito desejou entrar na terra prometida a Abraão e a todos os seus descendentes. E, diga-se a bem da verdade, na nossa visão e na nossa lógica, ninguém mais que ele mereceria essa oportunidade. Por tudo que ele representou para aquele povo, por ter sido o libertador, símbolo do próprio Cristo, por tudo que sofreu, por ter algumas vezes oferecido a própria vida pelo povo rebelde, Moisés deveria entrar, com todas as honras, à frente de seu povo e ocupar a terra que manava leite e mel.

No entanto, Deus não atendeu aquele seu anseio, negou-lhe claramente aquela oportunidade, mas realizou nele a Sua própria vontade, e em troca, lhe deu algo muito melhor. Segundo cremos e segundo a menção que se encontra em Judas 9, o próprio Cristo veio posteriormente resgata-lo das trevas e da morte e lhe concedeu, à frente de todos nós, a entrada na Canaã celestial.

SEJA FEITA A TUA VONTADE, ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU. Essa frase também nos mostra a submissão de anjos e seres celestiais à vontade suprema e soberana de Deus. Criaturas perfeitas, que nunca pecaram, sentem prazer em fazer a vontade do Deus criador, e se submeter aos Seus maravilhosos e benéficos propósitos, todos envoltos em amor.

Quando, enfim, entendermos que o Deus no qual cremos, e no qual depositamos nossas esperanças, além de onipotente, onisciente e onipresente, é também santo, perfeito, infalível e se interessa por nos, oraremos essa frase com muito mais certeza daquilo que estamos pedindo. Até porque, se houvesse uma ínfima possibilidade, por menor que fosse, de nosso Deus falhar ou errar em suas avaliações e propósitos, tudo o mais estaria perdido, esse imenso universo não subsistiria.

Autor: Mário Jorge Lima

0 comentários:

Postar um comentário

Esse Blog não se prestará a polêmicas doutrinárias, é apenas devocional. Você não precisa concordar comigo e pode dar sua opinião livremente, se não for agressiva nem fugir aos princípios de convivência cristã, será publicada.