Postado em: sexta-feira, 13 de maio de 2011

3(9) - Santificado Seja o Teu Nome

Continuamos hoje com as nossas reflexões sobre a Oração do Senhor, nosso mundialmente conhecido e amado PAI NOSSO.

A segunda frase dessa oração, SANTIFICADO SEJA O TEU NOME, é uma expressão de louvor, de adoração. Ela diz da nossa crença de que o nome de Deus é santo, e mostra que o desejo de quem ora é que esse nome seja apreciado, honrado, glorificado, ou seja, levado na devida conta.

Talvez pensemos que um nome próprio, nome de uma pessoa, não é nada assim tão importante. Mas, vejam, nos tempos bíblicos - e até mesmo em tempos modernos - o nome de uma pessoa tendia a ser uma expressão daquilo que ela era ou que se esperava que ela fosse. Antigamente os pais, ao darem nomes a seus filhos, o faziam dentro dessa ideia, não escolhiam apenas pela sonoridade, ou por modismo, mas expressavam aquilo que queriam que eles fossem na vida.

E foram vários os casos na Bíblia em que, quando as vidas dessas pessoas foram, de alguma forma, modificadas ou impactadas por algum incidente, os seus nomes foram alterados em função daquele fato. Assim, Abrão virou Abraão, que significa "Pai de uma Multidão". Sarai foi mudado para Sara, que significa "Dama ou Princesa". Jacó virou Israel, que significa "O que reina com Deus". Simão virou Pedro, que significa "Pedra, Rocha". Saulo virou Paulo, que significava "Baixa estatura". Moisés recebeu esse nome por significar "Salvo das águas". E o nosso amado Jesus significa "Deus é salvação".

A oração do Senhor diz que o nome de Deus é santo. Não apenas Deus é santo, mas o nome de Deus é santo. Nosso mundo hoje é um mundo transgressor, que de forma irreverente quebra regras, afronta conceitos, derruba estruturas solidamente estabelecidas, zomba do passado. Esse mundo, assim, em seu estado natural, não tem nenhum respeito por Deus e pelas coisas espirituais. E mesmo nós cristãos, que cremos num Deus único, criador, perfeito, infalível, onipresente, onisciente e onipotente, muitas vezes pronunciamos Seu nome de forma descuidada, e não damos a devida honra e reverência ao nome desse Deus no qual dizemos crer.

O povo usa expressões chulas, irreverentes, escandalosas mesmo, utilizando o nome do nosso Deus. Havia há pouco tempo um slogan muito em voga entre jovens cristãos evangélicos, que dizia "Deus é Dez". E isso era dito de forma escrachada, descuidada. Outros, para parecerem populares, moderninhos e engraçados, se referem ao Criador em músicas e em conversas como "o cara lá de cima".

SANTIFICADO SEJA O TEU NOME! O nome de Deus é santo, assim como santa é Sua pessoa. Quando Moisés foi enviado a falar com Faraó, para tentar a libertação do povo hebreu, perguntou a Deus quem ele, Moisés, deveria dizer ao povo que o havia enviado. Vamos ver a resposta de Deus em Ex. 3:13-14:

"Então disse Moisés a Deus: Eis que quando eu for aos filhos de Israel, e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? Respondeu Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós."
Vejam em que conta Moisés levava a questão do nome. Ele achava que essa seria uma das principais preocupações do povo, e de fato era: saber o nome de quem o havia enviado e lhe dado aquela missão, ou seja, com que autoridade Moisés chegava até eles.

Agora percebam que coisa interessante! Esse nome, que em hebraico se diz: EHYEH, EU SOU (verbo ser, na primeira pessoa), foi o nome pelo qual Deus disse a Moisés que Ele, Deus, deveria ser anunciado ao Seu povo. Mas quando foi a Faraó, e esse fez a mesma pergunta, Moisés respondeu de forma diferente. Está lá em Êxodo 5:2,3:

"Mas Faraó disse: Quem é o SENHOR, cuja voz eu ouvirei, para deixar ir Israel? Não conheço o SENHOR, nem tampouco deixarei ir Israel. E eles disseram: O Deus dos hebreus nos encontrou; portanto deixa-nos agora ir caminho de três dias ao deserto, para que ofereçamos sacrifícios ao SENHOR nosso Deus...”.

Sabem o que isso significa? Um tremendo privilégio! Deus só se apresenta como EU SOU para o Seu povo. Para quem não crê nEle e não O conhece, não faz sentido Ele chegar como o grande EU SOU. Nesse caso Ele é o Deus de Abraão, de Isaque e Jacó, ou o Deus dos hebreus, ou o meu e o seu Deus. Vocês já tinham notado e pensado nisso? Que privilégio temos nós como crentes em um Deus verdadeiro e criador!

Olhem que outra coisa extraordinária: Jesus, nosso EMANUEL, que quer dizer DEUS CONOSCO, teve atribuídas a Ele várias designações, todas utilizando essa expressão EU SOU. Eu sou o pão da vida. Eu sou a ressurreição e a vida. Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Eu sou o bom pastor. Eu sou a luz do mundo. Eu sou o Alfa e o Ômega. Eu sou a estrela da manhã. Eu sou a Rosa de Saron. Eu sou o Lírio do Vale. Já tinham percebido isso também? Deus é o único que pode dizer plenamente EU SOU.

Uma expressão muito comum em nossos dias, diz assim de pessoas que têm alguma habilidade, aptidão ou talento especial: "ele é o cara", "esse é o cara". Como se aquela pessoa se bastasse, fosse o suprassumo naquilo em que ela se sai bem ou se sai melhor que outros. No entanto, nós humanos, por maior excelência que tenhamos em qualquer área do conhecimento ou de atividade, somos na verdade resultado de criação, estudo, talentos naturais que herdamos ou cultivamos, exemplos de nossos pais e pessoas que admiramos. Ou seja, não somos apenas produto de nós mesmos. Nossa pessoa, nossa personalidade, foram profundamente influenciadas por outras pessoas. Portanto, jamais poderíamos definir ou nomear a nós mesmos, definitivamente, como EU SOU.

Deus é o único que pode dizer dEle mesmo, EU SOU. Ele Se basta, Ele é único, sempre existiu, ninguém O criou, ninguém O educou, ninguém O fez, ninguém O influenciou, ELE É, por isso Seu principal nome é EU SOU. O apóstolo Paulo já perguntava, maravilhado, na sua mais celebre doxologia, em Romanos 11:33-36:

"Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amem."

SANTIFICADO SEJA O TEU NOME! Esse nome é maravilhoso. Lembram-se daquele episódio do anúncio do nascimento de Sansão? O Anjo do Senhor, que seria o próprio Cristo Jesus em pessoa, conversava com Manoá e sua mulher a respeito do nascimento do menino. Em determinado momento Manoá pergunta o nome do mensageiro celeste. Então ele responde:

"Por que perguntas assim pelo meu nome, que é maravilhoso?" Juízes 13:18.. A palavra original no hebraico para esse termo, "maravilhoso", significa algo que não se pode compreender, inefável, ou seja, impossível de traduzir em palavras. Foi como se Cristo dissesse a Manoá: "Por que você pergunta pelo meu nome, Ele é incompreensível pra você.".

Isso não lembra a você o texto de Isaias 9:6 que descreve os nomes designados para Jesus? "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.".

No Judaísmo a reverência pelo nome de Deus é única, inigualada por qualquer outra religião, mesmo o Cristianismo. O venerado tetragrama, formado pelas letras YHWH, que se pode pronunciar YAWEH, e que deu origem a JEOVAH, formam o nome mais sagrado da Divindade. Devido ao terceiro mandamento da Lei, de não pronunciar o nome do Criador em vão, desenvolveu-se entre os judeus um profundo sentimento de reverência para com esta palavra. Assim, ao encontrá-la nos textos sagrados o judeu religioso não a pronuncia, pois não se considera digno de sequer dizer o nome inefável de Deus. Em seu lugar eles dizem ADONAI, que significa SENHOR. E ao escrevê-la, mesmo em português, costumam colocar uma apóstrofe ou um hífen em uma das vogais (D-us, D’us), de forma que o nome sagrado de Deus não seja profanado por estar escrito em material comum, perecível.

Prezado ouvinte, o nome de Deus é santo. No livro dos Salmos 111:9, encontramos: "Enviou ao Seu povo a redenção, estabeleceu para sempre a Sua aliança. Santo e tremendo é o seu nome.". É um erro, constitui um pecado, pronunciar o nome de Deus, frequentemente e de forma leviana e desatenta. Mesmo em nossos hinos e cânticos espirituais, ao pronunciá-lo, devemos fazê-lo conscientemente e com contrição.

O nome de uma pessoa é tão importante e significativo que, ao sermos transformados e glorificados pela volta de Jesus e pelo recebimento da vida eterna, uma das primeiras coisas que receberemos será um novo nome.
"Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.". Apocalipse 2:17.

Por Sua autonegação e obediência perfeita, Cristo conquistou a soberania sobre todos os povos e coisas. Vejam esse texto do apóstolo Paulo em Filipenses 2:9-11:

“Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai."

Quando orarmos a Oração do Senhor, ao dizer essa segunda frase, pensemos naquilo que estamos falando. Sabemos pela Bíblia que os anjos no céu, seres perfeitos, que nunca pecaram, reverenciam o nome de Deus e ao pronunciá-lo cobrem o rosto. Vamos lembrar-nos disso ao dizer esse nome sagrado, afinal, somos bem inferiores aos santos anjos.
.

Autor: Mário Jorge Lima

0 comentários:

Postar um comentário

Esse Blog não se prestará a polêmicas doutrinárias, é apenas devocional. Você não precisa concordar comigo e pode dar sua opinião livremente, se não for agressiva nem fugir aos princípios de convivência cristã, será publicada.